domingo, 16 de julho de 2017

Dias de fervorosa fé


Estamos nas vésperas da Roda da Sorte para os docentes (andará amanhã ou na terça-feira, segundo dizem os adivinhos acreditados). Portanto, hoje é dia religioso para muita gente.
Enquanto a quase totalidade dos opositores ao concurso está a rezar ao seu santo de eleição para ficar na Escola A ou na escola B, ou não muito longe de casa ou…  no território nacional, os meus opositores (todos docentes) estão divididos, mas convergentes na sua fé, e rezam por mim (não preciso, portanto, de rezar nem de maçar santos que não tenho). Serão (julgo eu) tantos os que rezam para que eu me “amande” dali para fora como aqueles que rezam para que eu não vá parar ao seu quieto paraíso:”Avé Maria, cheia de graça, levai este senhor convosco…!”; “Pai Nosso, que estais no Céu, sacrificado seja este nome… não venha a voz ao nosso reino…”. Vamos lá ver quem tem o santo mais poderoso. Espero, contudo, que não vençam os poucos que rezam à Comadre Morte e ao Mafarrico (os que me odeiam e os que me amam excessivamente)!
Perceberam agora, confortáveis apreciadores dos meus ditos, por que motivo vou ali e já venho? Acabou-se o prazer de estar a comer uvas doces e frescas, enquanto o miserável gladiador, estupidamente, rebola por nós no tórrido círculo da arena! 

Sem comentários:

Enviar um comentário